Centro Paula Souza
Governo de São Paulo
  • |
  • |
  • |

Pesquisar

 
 

Tecnologias Ambientais




Mestrado em Tecnologia: Gestão, Desenvolvimento e Formação
Autor: Cristiane Campos de Sousa
Orientador(a): Profª. Drª. Silvia Pierre Irazusta
Banca: Profª. Drª. Elisabeth Pelosi Teixeira; Profª. Drª. Maria Alice Penna Firme dos Santos
Título: Caracterizaçao Química e Toxicológica do Efluente de um Laboratório de Análises de Ligas Metálicas: Proposta de Tratamento Pré-Emissão

Resumo

Os recursos hídricos disponíveis são alvo de avaliação e monitoramento em decorrência dos constantes impactos ambientais a que estão expostos. Os efluentes domésticos e industriais são fontes de contaminação que contribuem para que esta situação se agrave.

Este trabalho teve por objetivo encontrar soluções simples para pré-tratamento do efluente gerado em um laboratório de análises de ligas metálicas, localizado em um Centro Universitário na região metropolitana de São Paulo. Para isso, foi primeiramente realizada a caracterização química (determinação de metais por ICP/AES), físico-química (pH, condutividade e dureza) e toxicológica (produção de micronúcleos em Allium cepa)do efluente em estudo. A solução proposta foi a precipitação química com sulfeto de sódio ou hidróxido de sódio, que mostraram-se eficientes, tanto em termos de redução da carga química quanto da toxicidade.

Os resultados das análises químicas, físico-químicas e dos bioensaios de toxicidade para mutagenicidade foram os indicadores da eficiência dos tratamentos propostos. Em relação aos metais presentes no efluente, a redução variou entre 22,94% e 99,99% com a utilização de hidróxido de sódio como agente precipitante e 7,89% e 100% com a utilização de sulfeto de sódio. Apesar desta variação, ambos os métodos apresentaram redução suficiente para permitir o descarte do efluente, dentro dos limites especificados pelo Decreto n° 8468/76, para os elementos pesquisados. Quanto à redução da atividade mutagênica, o hidróxido de sódio apresentou, em relação à utilização de sulfeto de sódio, superioridade de 15% no efluente bruto, 23,5% no efluente diluído a 50% e 37,5% no efluente diluído a 25%.

Considerando-se a similaridade entre os reagentes em relação à redução da concentração de metais, o hidróxido de sódio foi considerado a melhor opção para este efluente, devido ao melhor desempenho na redução da carga tóxica, não havendo a necessidade de eliminação do íon sulfeto antes do descarte.


Palavras-chave

metais pesados, mutagenicidade, efluente de laboratório, Allium cepa


Download da dissertação completa

  • Twitter
  • Facebook
  • Tumblr
  • YouTube
  • Picasa
  • Snapchat
  • Instagram
  • Linkedin
  • Linkedin
  • Compartilhar
 

Notícias


Mais notícias


 
 

Mapa do Site Mapa do Site

© Copyright 2016 - Centro Paula Souza - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por AssCom